EsporteNotícias
Tendência

Agora é Série D: Marcílio fica no empate com a Chapecoense na Arena Condá e é eliminado do Catarinense 2021.

Marinheiro faz 1 a 0 no primeiro tempo, mas leva empate nos acréscimos da segunda etapa.

O sonho acabou. O Marcílio Dias, após perder na partida de ida da semifinal do Catarinense, em Itajaí, por 4 a 1, para a Chape, tinha a missão de vencer por quatro ou mais gols de diferença na Arena Condá, pela partida de volta, para se classificar à final do Campeonato Catarinense 2021.Mas não conseguiu o resultado histórico. Ficou apenas no empate em 1 a 1 e deu adeus ao estadual.

Escalações

O Marcílio Dias de Carlos Alberto “Teco” tinha: Victor Golas no gol, Weriton, Wallace, Matheus Cabral e Luan. Luiz Meneses, Xavier e Nathan Ferreira. Franklin, Anderson Ligeiro e David Batista.

Já a Chapecoense, do técnico Mozart, entrou em campo com Tiepo no gol, Ronei, Thiago Coser, Laercio e Busanello. Lima, Leo Gomes e Anderson Leite.Geuvânio, Fabinho e Anselmo Ramon.

Primeiro tempo

O primeiro lance de perigo foi da Chape. Busanello recebeu de Lima e cruzou rasteiro para Anselmo Ramon. Ele arrematou e acertou o travessão do gol de Vitor Golas.

A resposta do Marinheiro veio da melhor forma, com gol. Anderson Ligeiro fez boa jogada pelo lado esquerdo e levantou na medida para Nathan Ferreira, que pegou de primeira e encheu a rede do Verdão. 1 a 0 Marcílio Dias.

Aos 22, Xavier levantou boa bola para dentro da área da Chape, a zaga afastou e na sobra Luan finalizou de primeira por cima do gol do Verdão. Por pouco não encobriu o goleiro Tiepo.Quase o segundo gol do Rubro-Anil.

O clima deu uma esquentada. Anselmo Ramon deixou o braço no rosto de Wallace. Os jogadores partiram para o bate-boca, mas a situação foi controlada pelo árbitro. Logo depois, Tiepo recebe o recuo de bola, e Luiz Meneses se atira de carrinho no goleiro da Chape. Ele fica no chão, e os jogadores dos dois times voltam a discutir.

Aos 36, quase o empate da Chapecoense. Após bom passe, Fabinho recebe dentro da área livre e bate na saída de Victor Golas. O goleiro marcilista fez ótima defesa.

A primeira etapa terminou bem equilibrada.

Segundo tempo

As duas equipes voltaram do intervalo sem alterações.

Aos 11 minutos, pedido de pênalti do lado marcilista. Franklin dá um belo drible em Busanello, invade à área e cruza. Léo Gomes dá o carrinho, e a bola toca no braço do volante antes de sair. Os atletas pedem a marcação da penalidade, mas o árbitro assinala apenas escanteio.

Com 21, finalização do Marcílio. Nathan Ferreira ajeita e chuta com perigo, mas a bola sai por cima da meta de Tiepo.

Era o Marcílio tentando achar forças para fazer o resultado histórico, mas faltava qualidade na definição. Teco também demorou a mexer na equipe e isso agravou ainda mais a situação.

Parecia que o Marinheiro, pelo menos, iria quebrar um tabu de vencer a Chapecoense em Chapecó pelo Catarinense. Coisa que não acontece desde 2008, quando o Avaí venceu o Verdão por 6 a 0 no antigo Índio Condá.

Que nada…

Aos 48, Perotti, após cobrança de escanteio, cabeceou e encheu as redes marcilistas. Gol da Chape. O 14º gol do jovem atacante no Campeonato Catarinense 2021. Artilheiro isolado da competição.

Fim de papo. Marcílio Dias 1 x 1 Chapecoense

O Marcílio bem que tentou, mas faltou qualidade, e o resultado histórico vai ter que ficar para uma outra oportunidade. O foco agora é na Série D do Brasileiro que começa, para o Marinheiro, dia 6 de junho. O adversário da primeira rodada será o Aimoré do Rio Grande do Sul, pelo grupo 8 da competição. O jogo será no Estádio João Corrêa da Silveira, também conhecido como Estádio Cristo Rei, em Aimoré. O horário, atualmente, está marcado para às 16h.

Colaborador: Anthony Marcel – Acadêmico de jornalismo

Artigos relacionados

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao topo
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x